16 de novembro de 2007

Recomeço


Eu me sinto tão derrotado, eu me sinto um inútil, por dentro querendo pedir ajuda, por fora tentando parecer forte.
A ilusão é a coragem que o meu exterior precisa para transparecer felicidade, mesmo sabendo que será uma felicidade momentânea continuo usando dos meios mais artificiais para sorrir.
Aprisiono meu caráter e jogo a chave fora, o que está por dentro fica suprimido como em um casulo, tento criar coragem para pedir ajuda, sempre com medo de ser taxado careta, sempre com medo de ser amaldiçoado com suas palavras, então eu sinto que meus sonhos estão tão distantes.
Não posso fazer mais nada, como posso sonhar se sempre ando entorpecido com peças de um quebra cabeça que eu mesmo desmontei e agora não consigo voltar para o lugar.
Então vejo que a única solução é gritar por ajuda, gritar com a alma na esperança de alguém escutar.
Queria eu ser uma vitrola tocando pela madrugada na maior altura para todos escutarem que eu quero voltar, que eu quero libertar meu eu de verdade.
Sinto um vazio estranho, nada mais me preenche, nada mais me alegra, nada mais me cativa, apesar de ter quebrado o muro que construi aquela felicidade artificial me faz falta, e para conseguir me curar desse vazio tenho que conseguir viver sem ela.
Peço ajuda aos meus amigos, peço ajuda a mim mesmo e principalmente peço desculpa a minha vida e agora fica a esperança de que eu vou voltar a ser o que eu não deveria ter deixado de ter sido...


Ass: Diogo Coelho

Um comentário:

Bruna disse...

esse ficou simplismente sensacionalllllllllll!!!!!!!!
teve a manhaaaaaaaaa