21 de novembro de 2007

Filosofias de Parede



De repente me olho diante do espelho, adoro o jeito que eu me vejo, surrado, amarrotado, procurando um remédio para sarar a dor de cabeça que sinto. Vivi ontem o que pessoas não vivem em mil anos, aprendi ontem o que nenhuma escola vai me ensinar em milênios, e tudo o que eu quero agora é me recuperar de um pecado cometido.
Experiências foram aprendidas, filosofias ensinadas e passadas, não só nas paredes, como nos bares e praças.
Sonho com um futuro incerto, sentado com meus amigos podendo falar o que realmente importa, isso se importar para você o fato disso significar algo para mim.
Sinto o vento no rosto, a sensação de dever cumprido.
Fazemos parecer fácil e engraçado situações que foram doloridas e complicadas.
Aprendemos que mais triste que um sorriso triste é a tristeza de não saber sorrir. Aprendemos a colorir a vida, aprendemos que até situações diversas e contra servem para nos fazer crescer, esboçamos nossos sentimentos em forma de poesias alegres, poesias tristes, poesias nada a ver, textos engraçados.
Descobrimos o que é acordar na cama do dia seguinte, tiramos a conclusão do que é ser fiel à felicidade.
Sentimos dificuldades de escrever, outrora sentimos facilidade em compor textos, nunca desistimos de disfarçar situações cotidianas para te fazer sorrir, aprender, sonhar e se sentir amparado.
Esse canto serve como um refugio para quem se sente desabrigado, podemos compartilhar e mostrar que somos todos iguais, e que por mais absurdo seja o que você estiver vivendo, existe quem tem historias mais absurdas que você.
A parede não é só mais um conto de fadas, ela é real e um recomeço para a liberdade.

Ass: Diogo Coelho



Disfarçando minhas reais intenções interesseiras e minhas facetas violentas com minhas diversas desavenças com a vida em geral, eu escrevo para sorrir.
Reclamo das minhas limitações como ser humano, como em uma briga interna, que travo com meu reflexo em minha imagem embaçada, como em um espelho de banheiro pós banho.
No fundo, sabemos que tudo não passa de um mero retrato de uma desculpa que damos para nós mesmos por não alcançarmos as proezas que idolatramos.
Pensamos, escrevemos, sorrimos e choramos na dificuldade que temos de transparecer nossas reais facetas de primatas que somos, e que nosso intelecto nos incomoda em desmentir.
Fundimos nossos modos antes tão distintos, em uma crítica romântica, real e pesarosa, mas que no fundo se resume em um sonho comum de transparecer o que, na verdade somos, e o que tentamos esconder.
Choramos com nossos cigarros solitários para tentarmos extravasar a raiva que, no fundo, sentimos de nossos inúmeros erros e não temos forças para mudar.
Criamos, observamos e às vezes nós escondemos atrás de caricaturas para tentar esconder a nossa faceta obscura.
Quebramos nossos paradigmas para tentar mostrar para terceiros o que queremos e pensamos sem pudor e com a eterna vontade de conquista.
Se escrevemos o que conseguimos captar da alma, devemos a nós mesmos por termos a capacidade de extrair as nossas profundezas em comum com nossos pensamentos.
Somos todos embaraçosos com nossos corações, que não facilita nossa compreensão, e que nos trava perante nossos maiores sonhos.
Erramos mais a cada dia, e nem sempre aprendemos com eles, porque às vezes não adianta aprender com situações únicas.
Choro de raiva por ser um apaixonado declarado para esquecer a minha barreira contra a paixão.
Jogamos pedra na parede para testar o quanto ela é sólida, e descobrimos que a parede soca nossa cara para aprendermos que a solidez é nossa conquista.

Ass: Pedro Gazzinelli

2 comentários:

Diogo disse...

Zaca, um ano de blog, escrevendo o que a gente acha importante, esse ultimo texto seu me fez sentir o carinho q vc tem pelo blog, ele ficou muito bom cara, pbns... E que a fonte de inspirações do seu coração não seque nunca, pois ela alimenta não só os meus olhos como o de várias pessoas que leem seus textos... Um dia você vai no Jo cara, e eu vo pegar carona.. Aprendi muito com seu jeito de escrever, 1 ano de filosofias passadas com a mais pura pureza....abços

pedro disse...

Como eu já tinha dito antes, esse é o melhor texto do nosso blog!
Parabéns! Muuuuito foda.