4 de março de 2008

Reflexões de um andarilho



Inclino meu corpo em meio ao que vejo, linda essa bossa nova que escuto, sonho com esta canção de esperança.
São só memórias de um andarilho, são só palavras de alguém que você provavelmente considera louco, sujo e ladrão.
Em cada canto do mundo pude lastimar minha existência por causa de vocês, nunca me vendo, sempre com medo e esperando que eu suma.
Se esquecem que “um rei pode fazer um passeio pelos intestinos de um mendigo.” já dizia Hamlet, pode-se pescar com um verme que tenha comido de um rei e comer o peixe que se alimentou desse verme.
Sou o que sou, escolhi ser assim, só um intelectual sujo desenhando sua aventura no livro da vida.
Já você me vê como o anti-reflexo de sua própria imagem.
Saio por ai divagando, tentando entender a mística misteriosa que envolve o universo, tentando fazer o futuro melhor.
O que aconteceu com as pessoas? Não entendem que uns tem a vontade dos filósofos de sair por aí e tentar entender o que você nunca quis compreender?
A vida é assim, não entendem que as vezes é preciso largar tudo para conseguir ganhar o todo!


Ass: Diogo Coelho

Um comentário:

bruna disse...

love...
esse texto ficou otimo!!!
adorei....
gosto qdo vc escreve assim...sem melancolia!!!
hahahah
te adoro d+++
bjo