4 de abril de 2007

Cama do dia seguinte

Tú.
Tá, tocou o despertador e estou levantando.
Já vai!!!!
O desejo de voltar para debaixo das cobertas e novamente sentir o cheiro que ficou ali de ontem.
Eu queria poder dormir novamente para ver se o tempo contribui com a minha estranha jornada de volta ao meu paraíso particular.
Aconchegantemente particular.
Eu queria minhas narinas embriagadas do seu cheiro.
Mas, ao final das contas, eu queria muita coisa.
Aliás, coisas demasiadamente difíceis de se conseguir para alguém, que em suma, não passa muita confiança nem inspiração externa.
Pow! o que que você é afinal???
A quem você vai atender assim???
Desde quando você agrada alguém com seus estranhos e chatos papos políticos misturados com um forçado vocabulário rebuscado de juridiquês medíocre?
Mas, com um pouco de empenho isso se converge.
Claro! Pensando nisso cheguei à conclusão, que, oras, até o carinho é comprável.
Vendável também.
Ninguém precisa se preocupar com isso.
Isso é facilmente transformado se utilizada uma técnica muita conhecida. Às vezes busco meu refúgio no álcool. Às vezes o álcool busca seu refúgio em mim. Me causa estranheza esse fato. Sério. Isso me faz constatar que a alegria momentânea é comprável também.
De novo penso que deveria sim mudar o foco de minhas aspirações.
Ah! Quero saber de tanta poesia lunática não. Quero fincar os meus pés em um chão firme.
E destruir essa porcaria depois, abrir um bar na praia!
Desisto, quando começo a tentar me enganar com planos futuros responsáveis o desejo de sentir a felicidade sem preocupações sempre fala mais alto.
Mas depois de tantas constatações tolas, o seu cheiro que ficou de ontem me fez lembrar que eu descartaria todas essas palavras para senti-lo de novo.

ass: Pedro

5 comentários:

Sylvinha disse...

o texto ta muito bom..
bom mesmo..
e jah te falei né...
alegria momentania eu to vendendo...
e o carinho, gato..te dou de graça
kkkkkkkkkkkkkkkkk

radial disse...

Cole Pedro, bacanas os textos cara. Queria poder escrever assim também, mas tá osso, tneho que escrever são coisas da minha dissertação. Mas ta de boa. Abração. Geovane.

Anônimo disse...

vai pro inferno filha da puta disgraçado
so sabe fala merda dos otrs porra vai vive sua vida porra parece uma bichinha suas bicha malditas se um dia eu encintra vcs eu vo mata todo mundo seus puto vadius

pedro disse...

UHauhauahauauahua
isso é um EMO escrevendo??
Vadiusss!!!

Num escrevi dos outros não, escrevi de mim mesmo.
E olha lá hein?
EMO que é EMO não pode xingar os outros de bicha.
Tá tipo indo contra a espécie saca?
Abração amigo!

Diogo disse...

meu deus.....qm vvc vai matar meu filho!? tenta a sorte