9 de junho de 2008

Coluna 7: Amazônia


O assunto da vez é o desmatamento.
Eu já tinha escrito, muito tempo atrás (25/05/2007), um texto sobre a Amazônia, em que eu expunha minha opinião sobre esse assunto.
Na época, ao ler meu texto finalizado achei que estava explicitando um ponto de vista radical demais, e que me renderia enchecão de saco semelhante a que obtive no “COLUNA 2”.
No entanto, resolvi exercer minha liberdade de expressão, e publicar o texto assim mesmo, agora.
Antes, eu gostaria de esclarecer as pessoas que nos lêem, que esse site é feito por três pessoas, e quem já leu ao menos um texto de cada um dos autores percebeu a diferença gritante que há entre nós. Além disso, gostaria também de explicar que os meus textos, além de críticos, são pautados por ironia e uma leve pitada de humor, e, antes que comecem a me mandar comentários do tipo “você é um escroto” reflitam antes sobre o real sentido das minhas dissertações.
Abraços,
Regies Celso.



Nunca tive vocação para ambientalista.
Sinceramente, não choro quando uma foca morre no pólo norte para que o Puff Daddy use um casaco chiquerrímo no próximo desfile em Milão.
E como já disse, não ligo muito para o aquecimento global.
Mas nada me indigna tanto quanto o estardalhaço em torno da floresta que guardamos na região norte.
Me lembro de um burburinho em torno de alguns livros em escolas americanas que classificavam a Amazônia como território internacional.
Depois o Cristóvão Buarque fez um discurso bastante politizado em torno de uma suposta internacionalização da Amazônia.
Aí, é claro, rola um senso comum de que esse americanos são um bando de filhos da puta, e que a Amazônia é nossa!! Porra!!
Quer saber da verdade? Estou cagando para a Amazônia.
Sério. Se a floresta continuar de pé, eu vou comer a Angelina Jolie? Não. Se a floresta continuar eu vou ser promovido? Não. Se a floresta desaparecer eu vou virar ator famoso de hollywood? Não.
É simples assim.
O Saara já foi floresta e não to vendo ninguém chorando por causa disso.
E o mundo não acabou também.
“Ahhhhhhh! Mas a Amazônia é o pulmão do mundo”
Já li várias vezes que 90% do oxigênio do mundo é liberado pelas algas marinhas.
Não vamos ser hipócritas e fingirmos que nos preocupamos com as coisas naturais do planeta.
A gente sempre cagou pro ecossistema.
E acho que é por aê mesmo. Que eu entenda o homem nunca conseguiu viver nem em sociedade. Só vivem por uma falta de espaço para as seis bilhões de pessoas viverem sozinhas e distantes. Porque se isso fosse possível...
O fato é que a gente nunca se importou de matar uns aos outros. Isso sempre foi natural. Quanto mais matar uma meia dúzia de passarinhos que eu nunca vi, e nem quero ver.
Eu nunca fui na Amazônia, não vou, não gosto de jacaré, mosquito e macaco, e nunca achei que índios serão amigáveis se eu aparecer por aquelas bandas.
Se quer levar? Leva.
Acredito que as FARC fazem um trabalho de policiamento de fronteira melhor que a Polícia Federal.
O FBI então...

Ass: Regies Celso

3 comentários:

Diogo disse...

Muito bom

Lucas Borges disse...

Você é um escroto!!

IAUHEIUAHEiauheAIUHEAIUEHAIUhe


Mas creio que devido à imensidão do nosso território, não compartilhamos esse sentimento de que "temos" a floresta amazônica. Eu ia precisar de mais de um dia pra chegar lá de carro! Acaba que todo mundo deixa pra lá. Mas os que conhecem, que chegam a adentrar das matas e rios e corredeiras, criam um sentimento naturalista, um vínculo com a natureza. Mas a grande questão da Amazônia é que ela exerce função essencial para as chuvas do Sudeste. Então, sem ela, também sofreríamos. E já chega o Governo e mulher que não vale nada fazendo a gente sofrer. E no caso dos atleticanos, seu time patético. hahaha. Mas enfim, achei interessante o modo que utilizou pra falar que os brasileiros e a população em geral tá pouco se fudendo pra meio ambiente em geral!

Ótimo texto!
Parabéns!

Diogo disse...

mas o regies celso é Cruzeirense..................